Tênis: O que é a Era Amadora e a Era Aberta? 

Durante muitas décadas, o tênis viveu dois circuitos diferentes: o amador e o profissional.

Nos últimos meses, o tênis voltou a ser pauta nas rodas de conversas dos brasileiros. A campanha histórica de Bia Haddad Maia em Roland Garros deste ano tem muito a ver com isto, é claro.  

O ótimo momento de Bia chamou ainda mais atenção quando as manchetes estampavam o fato de ela ter sido a primeira mulher brasileira a chegar em uma semifinal de major na Era Aberta. As dúvidas surgiram: E Maria Esther Bueno, a maior tenista brasileira da história, vencedora de incríveis 19 Grand Slams na sua brilhante carreira? E o que é essa tal de Era Aberta

Para entender, precisamos voltar ao passado do esporte, mais precisamente ao ano de 1968. Até esse ano, o tênis vivia dois circuitos paralelos, o dos amadores e o dos profissionais. Os amadores participavam dos grandes torneios, como os Grand Slams, mas não ganhavam dinheiro das organizações e da Federação Internacional de Tênis (ITF) – ao menos não oficialmente. Já os profissionais eram convidados por outras instituições para se apresentarem em torneios privados, ganhando dinheiro para isso. Eles, portanto, eram proibidos de participar dos Grand Slams, as mais prestigiadas competições do tênis

Note que não havia uma diferença técnica entre os chamados “amadores” e “profissionais”, sendo essa uma mera distinção entre os jogadores que ganhavam a vida com o tênis e os que preferiam se apresentar nos grandes palcos mesmo que isso não desse lucro. Muito pelo contrário; na época, muitos dos grandes tenistas davam mais valor à nobreza do que a qualquer outra coisa, e participar dos Grand Slams era o ápice da profissão. 

A partir de 68, tudo mudou. Com rumores de que alguns tenistas amadores estavam ganhando dinheiro extraoficialmente das organizações do torneio para jogar, a ITF foi pressionada a abrir as suas competições também para os profissionais. A entidade cedeu, e atletas profissionais começaram a participar dos torneios neste ano. Deste momento em diante, o tênis deixava a Era Amadora e adentrava a Era Aberta, período em que ficou possível todo grande atleta viver apenas da prática do esporte.  

É por isso que a campanha de Bia é histórica, já que ela foi a primeira tenista brasileira a atingir a semifinal de Roland Garros na Era Aberta. Isso de forma alguma desmerece a trajetória impressionante de Maria Esther Bueno, que jogou muito durante a Era Amadora e é até hoje responsável pelos melhores resultados do tênis brasileiro na história. 

Aprende Junto  

É hora de conhecer o Aprende Junto, a plataforma de ensino exclusiva do Joga Junto, que vai te ensinar a apostar de maneira mais estratégica.  

Quer saber mais? Acesse!  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *