Entenda o que é transfer ban, punição da FIFA imposta ao Vasco

Entenda o que é transfer ban, punição da FIFA imposta ao Vasco.

O Clube de Regatas Vasco da Gama sofreu, na última semana, o chamado “transfer ban”, sanção imposta pela FIFA que impede os clubes de registrar novos atletas em competições nacionais ou internacionais. Mas o que é o transfer ban de fato? 

O que é transfer ban

O transfer ban é uma medida administrativa imposta pela FIFA a clubes inadimplentes. A punição impede que os times devedores consigam registrar novos jogadores contratados até que haja um acordo entre as partes envolvidas. 

Geralmente, o transfer ban se dá por falta de pagamentos de parcelas ou valores integrais após uma negociação de compra de atleta entre um clube e outro. Por exemplo, se o Clube A comprou um atleta do Clube B e atrasou parcelas, o Clube B tem o direito de acionar a FIFA reivindicando os valores. A entidade máxima do futebol, por sua vez, notifica o clube devedor, dando um prazo de 45 dias para a quitação da dívida. Caso ela não ocorra, aplica-se o transfer ban, que impede o clube de registrar novos atletas nas competições que disputa. 

Embora a aplicação mais comum da punição aconteça por falta de resolução financeira entre clubes, o transfer ban também pode ser usado para punir times que não honraram os seus acordos com jogadores e demais funcionários, como falta de pagamento de salários, por exemplo.

O transfer ban tem, a princípio, um prazo indeterminado, e pode durar até que ocorra um acordo entre as partes. Contudo, segundo o capítulo 24, artigo 3º do RSTP (Regulations on the Status and Transfer of Players, inglês para Regulação sobre o Status e Transferência de Jogadores) da própria FIFA, o banimento do registro de novos jogadores pode se estender pelo período máximo de três janelas de transferência. Se dentro deste prazo não houver resolução por parte do devedor, pode haver perda de pontos em campeonatos e até rebaixamentos. 

O transfer ban do Vasco

O Club de Regatas Vasco da Gama foi, recentemente, acionado na FIFA por três clubes: Lille-FRA, Nacional-URU e Atlético Tucumán-ARG, devido a falta de pagamento de parcelas relativas à compra dos atletas Léo Jardim, Puma Rodríguez e Manuel Capasso, respectivamente.

Na última quinta-feira, dia 28 de setembro, após o Vasco não quitar as dívidas dentro do prazo estabelecido de 45 dias, a FIFA sancionou o clube, e o clube carioca está oficialmente proibido de registrar qualquer novo jogador nas competições. 

Segundo relatos, porém, a situação não preocupa a SAF e os dirigentes do clube. A expectativa é que o clube receba, até o dia 5 de outubro, um novo aporte financeiro da 777 partners, empresa que administra atualmente o Vasco da Gama. Com o dinheiro disponível em caixa, espera-se que a situação seja normalizada o mais breve possível. 

Esta é a segunda vez em menos de dois anos que o Vasco sofre transfer ban. Em julho do ano passado, o Vasco também ficou alguns dias sem poder realizar inscrições de jogadores por conta de uma dívida com o seu ex-treinador Ricardo Sá Pinto. O valor, avaliado em cerca de R$1,4 milhões, foi rapidamente quitado, e o Cruzmaltino pôde novamente registrar atletas. 

Casos de transfer ban no futebol brasileiro

O mecanismo de transfer ban não é novidade no futebol brasileiro. Alguns outros clubes do país, além do Vasco, já sofreram com a punição imposta pela FIFA. Relembre alguns.

Santos

O time da Vila já sofreu duas vezes a sanção. A primeira delas foi em 2020, quando o Hamburgo, da Alemanha, acionou a FIFA pela falta de pagamento da compra do zagueiro Cléber Reis, em 2016. A punição teve início em março de 2020, e durou até outubro, mês em que o Santos conseguiu regularizar a situação. 

No ano seguinte, em 2021, o Santos foi novamente acionado pela Federação, desta vez por parte do Huachipato. Na ocasião, o time chileno reclamou da falta de pagamento dos 50% dos direitos econômicos adquiridos do atleta Soteldo. Para resolver a questão, o alvinegro praiano vendeu o jogador e, com o dinheiro, saldou a dívida. 

Atlético-MG

No ano passado, o Atlético-MG passou algum tempo em transfer ban por uma dívida com o River Plate. A punição ocorreu devido a falta de pagamentos pela compra do jogador Nacho Fernández, em 2021.

O clube mineiro, porém, resolveu a questão rapidamente, chegando a um acordo com o time argentino para parcelar a dívida em duas parcelas.

Grêmio

O tricolor gaúcho foi outro time brasileiro a sofrer a punição da FIFA por alguns dias. A dívida em questão foi com o clube paraguaio Cerro Porteño, referente a compra dos direitos do jogador Mathias Villasanti. A diretoria do Imortal agiu rápido e realizou a quitação da dívida. 

Quer ler mais sobre esportes?

Se você gostou de saber o que é o transfer ban e se interessa por textos sobre esportes, então chegou ao lugar certo! 

O blog do Joga Junto tem uma editoria completa sobre o mundo esportivo, com textos informativos, curiosidades e matérias completas sobre as mais diversas modalidades.

Quer ler mais sobre os seus esportes favoritos? Então acesse a nossa editoria agora e aproveite!