A história de Zico, o maior ídolo do Flamengo 

Arthur Antunes Coimbra marcou época no futebol do Brasil e do mundo.

Nascido em 3 de março de 1953, no subúrbio de Quintino Bocaiuva, na zona norte do Rio de Janeiro, Arthur Antunes Coimbra, conhecido como Zico, marcou seu nome na história do futebol mundial como um dos melhores jogadores de todos os tempos. Sua habilidade excepcional, visão de jogo e precisão nos passes o tornaram uma lenda do esporte

O início da trajetória de Zico

Zico iniciou sua trajetória brilhante no futebol de salão, jogando com seus amigos no time chamado “Juventude de Quintino”. Desde cedo, seu talento se destacava, e não demorou muito para que ele fosse notado. Em 1967, entrou para a escolinha do Flamengo, clube onde construiu a maior parte de sua carreira. 

Sua ascensão meteórica continuou quando Zico ganhou o campeonato carioca infantil em 1969. Dois anos depois, já participava das partidas do time principal juvenil, e em 1972, sagrou-se campeão carioca juvenil. 

O começo de Zico no Flamengo e na Seleção

Em 1974, Zico entrou como titular do Flamengo, conquistando o número 10, que se tornaria icônico em sua carreira. A partir desse momento, o clube entrou na famosa “era Zico”, que seria marcada por uma série de títulos e conquistas em diversos campeonatos. Com a camisa rubro-negra, Zico marcou incríveis 509 gols. 

Sua genialidade não se limitava apenas ao Flamengo. Zico também brilhou na Seleção Brasileira, representando o país entre 1976 e 1986. Em 89 partidas, marcou 67 gols. Participou de três Copas do Mundo, sendo elas a de 1978, na Argentina, a de 1982, na Espanha, e a de 1986, no México. Apesar de não ter erguido o troféu nas competições mundiais, suas atuações brilhantes e seu estilo de jogo encantaram fãs de todo o mundo. 

Ida para o futebol italiano

Em 1983, Zico foi negociado com a equipe italiana da Udinese, onde conquistou o Torneio Quadrangular no mesmo ano. Na primeira temporada, marcou 19 gols, ficando apenas um atrás de Michel Platini, artilheiro da campeã Juventus.

No ano seguinte, a Udinese lutou contra o rebaixamento, mas mesmo assim o Galinho se destacou com 12 gols. Apesar do pouco tempo no clube, Zico ainda é lembrado com carinho pelos torcedores do time italiano por sua qualidade e seu período brilhante por lá.

Volta ao Flamengo e lesão

Em 1985, o jogador retornou ao Brasil e, no segundo semestre do mesmo ano, voltou ao Flamengo. Infelizmente, sua trajetória foi interrompida por uma lesão grave. Durante um jogo contra o Bangu, Zico rompeu os ligamentos cruzados do joelho, passando por diversas cirurgias para se recuperar. 

No entanto, sua determinação e força de vontade superaram todas as adversidades. Em 1986, Zico retornou aos gramados contra o Fluminense, marcando três gols em uma partida memorável. Naquele mesmo ano, o Flamengo conquistou o campeonato estadual. 

A despedida de Zico

A despedida oficial de Zico do Flamengo ocorreu em 1990, saindo de campo e entrando na história do clube rubro-negro.  

Meia com mais gols na história do futebol, Zico, o “Galinho de Quintino”, permanece como um ícone eterno do futebol brasileiro e mundial, sendo considerado como um dos maiores jogadores de todos os tempos.  

Aprende Junto

É hora de conhecer o Aprende Junto, a plataforma de ensino exclusiva do Joga Junto, que vai te ensinar a apostar de maneira mais estratégica.  

Quer saber mais? Acesse!  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *